Pular para o conteúdo principal

VEM AÍ O 1º VALE FEST – CULTURA POPULAR

Por Sem Comentários8 min de leitura

Projeto de valorização e manutenção da tradição da cultura do Bumba meu Boi no Vale do Aço apresenta espetáculo e mostra audiovisual no Galpão do Parque Ipanema

 

No próximo domingo, 23 de outubro, a partir das 17h, o Parque Ipanema recebe a primeira edição do Vale Fest – Cultura Popular, evento que tem como objetivo resgatar e preservar o Bumba meu Boi, festa do folclore popular brasileiro. Na programação exibição de dois vídeos documentários e estreia do espetáculo Nossa Brincadeira de Boi.

 

O Vale Fest foi aprovado  no Edital 02/2021 – Festas Populares, que tem como objetivo o apoio e valorização das manifestações e expressões da cultura tradicional, popular e urbana de Minas Gerias. A proposta do edital foi de incentivar iniciativas que envolvem o conjunto rico e heterogêneo de expressões simbólicas, econômicas e políticas, dotadas de referências importantes para a construção de identidades locais e regionais. É realizado pela atriz Claudiane Dias, com produção de Morrisom Deoli, apoio do Circo Fool e Grupo Farroupilha.

 

De acordo com a atriz e empreendedora do projeto, Claudiane Dias, em Ipatinga a tradição do Bumba meu Boi iniciou no distrito de Pedra Branca, com o Senhor Joaquim Sem Terra, com o Boi que traz na testa o coração. “Foi um movimento que aconteceu durante muitos anos com alvoradas nos quintais das casas e os moradores improvisando cantigas com histórias das famílias e os cantadores competindo na rima”, destaca Claudiane. Para a atriz é importante a realização de ações como esta, que buscam valorizar e manter as tradições, que fazem parte de nossa história, para que as futuras gerações possam preservar e repassar.

 

A programação 

O 1º Vale Fest acontece nos dias 23, 25 e 26 de outubro. A estreia é no domingo (23), no Galpão do Parque Ipanema. A partir das 17 horas em cena o espetáculo o espetáculo Nossa Brincadeira de Boi, que conta a história de bois que acontecem no Vale do Aço e em outras regiões do Brasil. Em seguida serão exibidos os documentários Boi do Vale – O Folclore do Pouso de Água Limpa, com roteiro e direção de Luis Yuner; e Valentinas – Boi Valente, que conta com direção musical do Wemerson Geleia Rodrigues, direção cênica de Claudiane Dias e é protagonizado pelo Grupo Valentinas de percussão Afro Mineira.

 

O Vale Fest leva sua programação para duas escolas de Ipatinga: no dia 25 de outubro acontece na Escola Municipal Mário Cassasanta, localizado no Ipaneminha e no dia 26 de outubro para a  Escola Municipal Gercy Benevenuto, no bairro Taúbas.

 

Nossa Brincadeira de Boi

 

O espetáculo Nossa Brincadeira de Boi foi montado especialmente para integrar a programação do Vale Fest. Com dramaturgia e direção de Luis Yuner, trilha sonora de Wemerson Geleia Rodrigues, cenografia e figurinos de Rômulo Amaral, produção de Morrisom Deoli, da Cênika Eventos, tem como intérprete a atriz Claudiane Dias. Reúne um time de profissionais da região: Jefferson Ornelas, na assistência de produção, Teuler Morais no designer gráfico, Wadson Lourenço e Débora na preparação vocal, Marcone Melquiades na cenotécnica, Deborah Braga na operação de som, Geniane Martins de Paula Oliveira no registro fotográfico, Marilda Lyra na assessoria de imprensa, as costureiras Silvia Lage e Juciara Silva, Jamaica Tatoo nas pinturas, Marian Helena na reforma da Burrinha e na confecção dos mamulengos Luis Yuner, Honorina Dias, Welington Gardene e Claudiane Dias.

 

De acordo com Claudiane Dias o espetáculo nasceu de uma paixão pelas brincadeiras de boi que acontecem pelo Brasil, nos folguedos sertanejos, de ruas e quintais. Emocionada a atriz nos conta que “Nossa Brincadeira de Boi fala desse boizinho, construído muitas vezes de pano, espuma, madeira, balaio e que traz tanto significado em cada lugar. Tem lugar que tem boi de Reis, que é acontece na época do Natal, tem lugar que tem boi folião e em muitas regiões é na época do São João”, destaca a atriz.

VEM AÍ O 1º VALE FEST – CULTURA POPULAR 

Essas diferenças de cada região são abordadas no espetáculo. Destaque para o Boizinho de Balaio, do Senhor Joaquim Sem Terra, lá do Bairro Pedra Branca, na Zona Rural de Ipatinga, que é citado e aclamado, além do tradicional Boi que acontecia no centro de Ipatinga, na rua do Buraco e no 7 de outubro. É uma retomada e um resgate dessa memória que atravessou a intérprete Claudiane Dias, que viveu por 17 anos brincando o boi e que hoje traz de volta essa memória, tanto para os que vivenciaram esse período, como para as futuras gerações.

A peça é livremente inspirada no universo apaixonante das brincadeiras a partir do Auto do Bumba Meu Boi. Reúne causos, aventuras e músicas do cancioneiro popular, que fazem parte dos folguedos folclóricos do Norte ao Sul do Brasil. Reverencia o mamulengo, o cordel, o teatro mambembe, e o próprio Bumba Meu Boi com todas as suas personagens, inseridas nos sonhos de uma menina-mulher, que ao ver o boi passar, se apaixona pela brincadeira, e agora nos conta mais uma versão desta história que rompe o tempo e transforma emoções por onde passa.

 

Valentinas Boi Valente 

Um dos vídeos que será apresentado no Vale Fest é do Grupo Valentinas, que conta com direção musical do percussionista Wemerson Geleia Rodrigues, direção cênica de Claudiane Dias e produção de vídeo da Lizard Filmes. Trata-se de Valentinas Boi Valente, baseado na música homônima do compositor Caboclo Cantador ( Caio Siqueira).

 

Geleia destaca que a música integra o repertório de O Quê, disco da carreira do solo do compositor, que leva sua assinatura em todas as percussões. A música conta a história do boi bem diferente das tradicionais. “Trata-se de um boi perigoso, indomável. Quando ele fugiu aterrorizou a vila inteira. Era gente correndo pra tudo que é lado, gente rezando, gritando e no final o boi reina e todo mundo o respeita”, conta Wemerson.

 

O Grupo Valentinas nasceu em 2013, originalmente formado por mulheres que se interessaram por estudar percussão. Um grupo que tem o também mineiro como elemento central, elemento de pesquisa, que abrange vários gêneros musicais da cultura afro-brasileira. Nesses 9 anos o grupo tem preparado músicas autorais, para gravar seu primeiro EP e o Boi Valente é uma delas.

 

Boi do Vale – O folclore do Pouso de Água Limpa

 

O outro título a ser exibido é um documentário poético-performático sobre o folclore da cidade de Ipatinga, contendo histórias, lendas, costumes e tradições que pairam no imaginário popular dos habitantes desta região. Com aproximadamente 60 minutos de duração, reuniu depoimentos de historiadores, folcloristas e agentes culturais de suma importância para a memória da tradição de Ipatinga.

 

Luis Yuner, roteirista e diretor é o fio condutor desta obra. Yuner destaca que na obra são retratados o Congado do Ipaneminha, as brincadeiras de boi, os primeiros carnavais, as gírias e expressões, os casos de mal assombro, as encantarias dos seres dos Rios Doce e Piracicaba, o garimpo, o ferro e a fé, buscando com isso valorizar e preservar o  mosaico de saberes que formam a riqueza cultural desta região.

O documentário reúne depoimentos de José Augusto de Morais, Ademar Pinto Coelho, Claudiane Dias, Claudina Abrantes, Sóstenes Araújo, Aristeu Rosalino, decendente dos criadores do Congado do Ipaneminha, do Senhor Joaquim Botelho, mais conhecido como “Joaquim Sem Terra”, figura típica regional do Pedra Branca e brincante de Bumba meu Boi e também do Senhor José Marciano e Creuza Rosa, fundadores do congado do Ipanemão.

 

Serviço:

1º Vale Fest – Festas Populares

Dia 23 de outubro, a partir das 17h

Galpão do Parque Ipanema – Entrada Franca

 

Programação:

Espetáculo: Nossa Brincadeira de Boi, com Claudiane Dias
Direção e roteiro Luis Yuner

Filmes: O Boi Valente, com Grupo Valentinas
Direção: Wemerson musical Rodrigues, Direção Cênica Claudiane Dias, produção de vídeo Lizard Filmes

Boi do Vale – O folclore do Pouso de Água Limpa

Direção e roteiro: Luis Yuner

Compartilhe:

Deixe uma Resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.